Cardiomiopatia “Stress”: Um tipo diferente de ataque cardíaco

Cardiomiopatia “Stress”: Um tipo diferente de ataque cardíaco

Conceito de ataque cardíaco

A maior parte dos ataques cardíacos são devidos ao bloqueio das artérias coronárias por coágulos sanguíneos que se formam quando as placas de colesterol se rompem. A falta de fluxo sanguíneo através das artérias bloqueadas resulta na morte do músculo cardíaco – daí o nome “ataque cardíaco”. No entanto, existe outra forma de ataque cardíaco chamada cardiomiopatia takotsubo.

Nos últimos anos, os médicos têm vindo a reconhecer e a compreender melhor esta forma de ataque cardíaco. Este tipo incomum de infarto do miocárdio não envolve a ruptura de placas ou bloqueio dos vasos sanguíneos. É chamado de cardiomiopatia takotsubo, ou cardiomiopatia de estresse. Os médicos japoneses, que foram os primeiros a descrever esta condição, deram-lhe o nome de “takotsubo” porque durante esta doença, o coração adquire uma forma distinta que se assemelha a um pote japonês usado para aprisionar um polvo. Acreditava-se que a cardiomiopatia takotsubo era geralmente causada por um súbito stress emocional, como a morte de uma criança, e que era muito menos prejudicial do que um ataque cardíaco típico. Por essa razão, alguns também haviam rotulado essa condição como “síndrome de coração partido”

Um estudo na edição de 3 de setembro de 2015 do The New England Journal of Medicine relata o trabalho de uma colaboração internacional de médicos dos Estados Unidos e da Europa que estudou 1.750 pacientes com cardiomiopatia de takotsubo. Curiosamente, 90% destes casos ocorreram em mulheres, e as mulheres deste estudo tinham em média 67 anos de idade. Os estímulos mais comuns da cardiomiopatia de estresse foram físicos (como problemas pulmonares ou infecções), e a causa mais comum seguinte foi um “choque” emocional. Mas em uma proporção substancial de pacientes, não havia nenhum gatilho que pudesse ser identificado.

Comparado com pessoas que tinham sofrido um ataque cardíaco “típico”, pacientes com cardiomiopatia takotsubo tinham quase o dobro da probabilidade de ter um distúrbio neurológico ou psiquiátrico. E em contraste com a crença comum entre os médicos de que a cardiomiopatia takotsubo é menos grave que outras formas de ataque cardíaco, as taxas de morte no hospital entre a cardiomiopatia takotsubo e os ataques cardíacos mais “tradicionais” foram semelhantes.

A medida que a consciência da cardiomiopatia takotsubo aumenta entre médicos e pacientes, suspeito que estaremos reconhecendo ainda mais casos de cardiomiopatia takotsubo no futuro. A condição certamente não parece ser tão rara como se suspeitava, nem tão inofensiva como se acreditava.

Futura pesquisa será necessária para determinar os melhores cuidados para pacientes com cardiomiopatia de takotsubo e diminuir o risco de problemas futuros. Neste momento, usamos frequentemente os mesmos medicamentos para tratar o enfraquecimento do músculo cardíaco na cardiomiopatia takotsubo, como fazemos com outras formas de ataque cardíaco, mas ainda não existem muitos bons estudos sobre as melhores escolhas de medicamentos para pessoas que tenham experimentado a cardiomiopatia takotsubo. A ligação com distúrbios neurológicos ou psiquiátricos é intrigante, e sugere que uma importante ligação coração-mente é relevante para algumas manifestações da cardiomiopatia de takotsubo, e possivelmente também para outras condições cardíacas.

Informação Relacionada: Harvard Heart Letter

Imprimir Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *