Lateral cuneiforme – Os cuneiforme laterale

Lateral cuneiforme – Os cuneiforme laterale

Descrição

O cuneiforme lateral (terceiro osso cuneiforme)e, de tamanho intermediário entre os dois anteriores, tem forma de cunha, sendo a base mais alta. Ocupa o centro da fila anterior dos ossos tarsais, entre o segundo cuneiforme medialmente, o cubóide lateralmente, o navicular atrás e o terceiro metatarso à frente.

Superfícies.- A superfície anterior, de forma triangular, articula-se com o terceiro osso metatarso. A superfície posterior articula-se com a face lateral na superfície anterior do navicular, sendo áspera abaixo para a fixação das fibras ligamentares. A superfície medial apresenta uma face anterior e uma posterior articular, separadas por uma depressão rugosa: a anterior, por vezes dividida, articula-se com o lado lateral da base do segundo metatarso; a posterior contorna a borda posterior e articula-se com o segundo cuneiforme; a depressão rugosa dá fixação a um ligamento interósseo. A superfície lateral também apresenta duas facetas articulares, separadas por uma área áspera não articular; a face anterior, situada no ângulo superior do osso, é pequena e semi-ovalorizada e articula-se com o lado medial da base do quarto metatarso; a posterior e maior é triangular ou oval e articula-se com o cubóide; a área áspera não articular serve para a fixação de um ligamento interósseo. As três facetas de articulação com os três ossos metatarsais são contínuas entre si; as de articulação com o segundo cuneiforme e navicular também são contínuas, mas a de articulação com o cubóide é normalmente separada. A superfície dorsal é de forma oblonga, sendo o seu ângulo póstero-lateral prolongado para trás. A superfície plantar é uma margem arredondada, e serve para a fixação de parte do tendão do Tibialis posterior, parte do Flexor alucis brevis, e ligamentos.

Articulações.- O terceiro cuneiforme articula-se com seis ossos: o navicular, o segundo cuneiforme, o cubóide, e o segundo, terceiro e quarto metatarso.

Esta definição incorpora texto de uma edição de domínio público da Anatomia de Gray (20ª edição americana da Anatomia de Gray do Corpo Humano, publicada em 1918 – de http://www.bartleby.com/107/).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *